MACÁRIO

MACÁRIO   (Prólogo para a peça de teatro)   Álvares De Azevedo     … e o gênio traz sempre um sinal que se reconhece em toda a parte (e…

NOITE NA TAVERNA

NOITE NA TAVERNA  I   UMA NOITE DO SÉCULO Bebamos! nem um canto de saudade! Morrem na embriaguez da vida as dores! Que importam sonhos, ilusões desfeitas? Fenecem como as…